Artigos

A fundamentação do pH sanguíneo

A função normal das células do organismo depende de uma série de processos bioquímicos e enzimáticos do metabolismo celular. Um dos fatores mais importantes na preservação do metabolismo celular é a quantidade de hidrogênio livre, existente dentro e fora das células. A concentração de hidrogênio livre no organismo depende da ação de substâncias que disputam o hidrogênio entre si: as que cedem hidrogênio, e as que captam o hidrogênio. As substâncias que tendem a ceder hidrogênio em uma solução são chamadas de ácidos, enquanto as substâncias que tendem a captar o hidrogênio nas soluções são as bases. A concentração final do hidrogênio resulta do equilíbrio entre esses dois grupos de substâncias, ácidos e bases. O metabolismo celular produz ácidos, que são liberados continuamente na corrente sanguínea. O organismo neutraliza esses ácidos para prevenir mudanças agudas na concentração de hidrogênio e preservar a função celular. A forma como o organismo regula a concentração dos íons de hidrogênio (H+) é de fundamental importância para a avaliação das alterações do equilíbrio entre ácidos e bases no interior das células (líquido intracelular), no meio líquido que as cerca (líquido intersticial) e no sangue (líquido intravascular). Os elementos importantes para a função celular, sob o ponto de vista químico, estão em solução. Uma solução é um líquido formado pela mistura de duas ou mais substâncias de um modo homogêneo. Uma solução consiste de um solvente, o componente principal, e um ou mais solutos. O organismo humano contém 60 a 80% de água e, nas soluções biológicas, a água constitui o solvente universal. As demais substâncias em solução constituem os solutos. A presença e a atividade dos íons de hidrogênio em uma solução e nos sistemas biológicos, deve ser avaliada pela determinação da quantidade de hidrogênio livre. Para a avaliação do hidrogênio livre nas soluções de ácidos ou de bases, usa-se a unidade pH. O termo pH significa potência de hidrogênio; foi criado para simplificar a quantificação da concentração de H+ na água e nas soluções. A escala do pH varia de 0 a 14, representando a acidez ou a alcalinidade de uma solução. As soluções cujo pH está ente 0 e 7 são ditas ácidas; as que têm o pH entre 7 e 14 são ditas básicas ou alcalinas. O balanço entre ácidos e bases no organismo é uma busca constante do equilíbrio; o plasma resiste às variações bruscas do pH. O plasma, portanto, dispõe de mecanismos de defesa contra as alterações do pH. Os mecanismos de defesa do organismo contra as variações bruscas do pH, são químicos e fisiológicos, e agem em íntima relação. Os mecanismos químicos são representados por conjuntos de substâncias capazes de reagir tanto com ácidos quanto com bases, neutralizando-os, e dificultando as oscilações do pH. Os mecanismos fisiológicos são representados pelos pulmões e pelos rins, que eliminam substâncias indesejáveis ou em excesso, ácidas ou bases, e poupam outras, de acordo com as necessidades do momento. Os tampões são substâncias que dificultam as alterações do pH pela adição de ácidos ou bases. São fundamentais ao organismo, porque o metabolismo gera muito ácido. Os sistemas tampão são também conhecidos pela sua denominação inglesa: sistemas “buffer”. O pH do plasma sanguíneo traduz as reações de um infindável número de substâncias dissolvidas, inclusive os sistemas tampão; seu valor normal corresponde a uma estreita faixa que varia entre 7,35 e 7,45, e vai utilizar todos os recursos disponíveis para manter esta faixa para que os processos enzimáticos e bioquímicos possam ocorrer de forma eficiente e apropriada. Se o pH se encontra abaixo de 7,35 dizemos que há uma acidose. Se, ao contrário, o pH estiver acima de 7,45, dizemos que há uma alcalose. As alterações pronunciadas do pH, não são bem toleradas pelo organismo. A faixa de tolerância do organismo humano se situa entre 6,8 e 7,8; valores fora dessas faixas, abaixo de 6,8 ou acima de 7,8, são extremamente difíceis de reverter. Conforme a origem, os distúrbios do equilíbrio ácido- base, acidose ou alcalose, podem ser de natureza metabólica ou respiratória. Em condições normais existe um delicado balanço entre os componentes metabólico e respiratório, que determinam a estabilidade do pH, dentro da faixa normal. FONTE: Carreiro, Denise Madi. Cálcio, na forma, na medida e no lugar certo. SP: Editora Referência LTDA; 2011.